Você conhece a sabedoria ancestral das mulheres?

Na antiguidade nossos ancestrais viviam em um sistema chamado Matrifocal, em que a mulher ocupava um lugar central na forma da estrutura familiar e social, porém sem exercer domínio em relação ao homem.

Nessa cultura o feminino e o masculino eram pacíficos e o bem-estar da comunidade era o principal foco. As comunidades veneravam corpo e a sexualidade feminina por serem criadoras de vida e pela sua sabedoria.

Aos poucos essas comunidades sofreram ataques por outras culturas guerreiras, passando a serem escravizadas e roubadas. As culturas matrifocais perderam força, e deram espaço para as culturas patriarcais hierárquicas, onde as mulheres se tornaram submissas; um bem para comercializar e possuir, assim como a natureza.

Atualmente ainda estamos inseridos nesse sistema patriarcal, porém muitas mulheres estão resgatando sua verdadeira essência e seus segredos ancestrais, através da sabedoria do sagrado feminino.

Ao despertar essas memórias antigas, de conexão com a natureza, feminilidade e a sexualidade sagrada, é possível se livrar dos padrões da sociedade atual em que vivemos, curar registros antigos, ouvir a intuição, estabelecer conexão com o poder interno do útero, ressignificar a menstruação e expandir-se para uma consciência maior.

A mulher e as fases da lua

As mulheres são cíclicas, assim como a natureza pois, possuem dentro de seu ventre as estações e as fases da lua. A cada mês vivem uma mudança de ciclo, energia e movimento interior.

As fases da Lua coincidem com as fases do ciclo menstrual, e os estados de humor e hormonais estão sob a sua influência. Assim como a Lua demora cerca de 28 dias para dar uma volta completa na Terra, o ciclo menstrual da mulher é de 28 dias aproximadamente.

Desta maneira, esses ciclos se conectam com as quatro fases lunares: lua nova, lua crescente, lua cheia e lua minguante.

As mulheres foram “treinadas” a passar por cima de suas necessidades e se manter sempre iguais – dispostas, energéticas, racionais, fazedoras e amorosas. Porém elas possuem uma consistência mensal, que varia de semana para semana, e assim também são as suas habilidades, capacidades e processos mentais, físicos, emocionais e espirituais, que precisam ser respeitados e compreendidos.

Atualmente, nos países ocidentais, as mulheres não costumam prestar atenção às mudanças emocionais e energéticas que experimentam durante seu ciclo. Muitas vezes tentam viver como se não fossem afetadas por suas fases, e isso leva a uma perda de bem-estar e um mal aproveitamento de todas as suas potencialidades.

Como se reconectar com seus ciclos?

Os encontros denominados de ”círculos de mulheres”, “circulo sagrado feminino” ou encontro com mulheres, com músicas, danças, estudos, meditação – sagrado feminino, são ótimas oportunidades para vivenciar coletivamente essa reconexão.

Você pode se reconectar sozinha também, através do estudos dos cristais, das ervas, plantas, banhos energéticos, defumações, vaporização de útero, essas experiências poderão proporcionar cura para o corpo e para a alma.

Mandala Lunar

Outra forma que é muito prática e extremamente funcional para sua jornada de autoconhecimento feminino é a mandala lunar. Você já ouviu falar sobre ela? A mandala lunar é uma ferramenta para você se conectar e mapear seu ciclo menstrual. Com o passar dos meses, a medida em que for se observando e preenchendo sua Mandala, você poderá compreender seus padrões pessoais em cada fase do ciclo e, posteriormente, vai conseguir identificar qual será seu estado de espírito ou estado de humor em determinado período e então tomar melhores decisões para aquele momento. Esta é também uma forma de relacionar seu ciclo pessoal com o ciclo da lua e da natureza.

Confira abaixo uma referência que pode te auxiliar em sua auto observação:

Menstruação

  • Lua Nova

  • Estação: Outono

  • Arquétipo: Anciã

  • O que fazer nessa fase? Repousar, semear o futuro e relaxar.

Pré-ovulação

  • Lua Crescente

  • Estação: primavera

  • Arquétipo: Donzela

  • O que fazer nessa fase? Planejar, iniciar e executar.

Ovulação

  • Lua Cheia

  • Estação: Verão

  • Arquétipo: Mãe

  • O que fazer nessa fase? Cuidar, nutrir, agir e manter.

Fase Lútea - TPM (tempo para meditar)

  • Lua Minguante

  • Estação: Outono

  • Arquétipo: Feiticeira

  • O que fazer nessa fase? Refletir, deixar morrer o que não faz mais sentido, mudar e agradecer o ciclo que passou.

Obs: lembrando que cada mulher é única e que seus ciclo interno não precisa estar necessariamente igual ao ciclo lunar externo.

Benefícios ao se reconectar com a sacralidade feminina:

  • Equilíbrio emocional;

  • Autoconhecimento;

  • Expansão da consciência;

  • Autoestima;

  • Revitalização da energia feminina;

  • Valorização;

  • Reconexão com a sacralidade sexual;

  • Controle da ansiedade;

  • Conexão com a natureza;

  • Reconhecimento;

  • Força;

  • Corte dos medos, dúvidas, fraquezas, inseguranças e críticas;

  • Maior facilidade de lidar com desafios;

É tempo de reconexão, criar um ciclo não mais de sofrimento, mas de bem-estar, potência e saúde. Vamos todos juntos compartilhar ainda mais essa sabedoria que transformará a vida de muitas mulheres!

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square

ENTRE EM CONTATO

  • Branco Facebook Ícone
  • Branca Ícone Instagram
  • Branca ícone do YouTube

Endereço: R. Borges Lagoa 508 - São Paulo, SP 040038-000

Contato@cura-te.org.br

Conheça o projeto

Você quer nos ajudar a continuar esta obra?

amigos do Cura-te logo.png
WhatsApp-icone.png

 2016 - Cura-te © Todos os direitos reservados - CNPJ: 31.171.222/0001-09